domingo, 23 de julho de 2017

Como cuidar de cactos

Falamos muito sobre o cultivo de suculentas aqui mas de cactos fiquei mesmo devendo à vocês. Vou fazer uma série de posts sobre esses lindos. Se você não conhece nosso post de mitos sobre cactos e suculentas, clique aqui. Para saber sobre cactos coloridos, clique aqui.


Meu vaso favorito do momento! <3

Para começar, o que devemos saber para ter sucesso com cactos? Parece óbvio, mas é:

- Sol pleno por no mínimo 4 horas diárias;
- Pouca água;
- Solo drenável.

SOL

Na maioria dos casos que vejo pessoas me pedindo socorro porque o cacto está feio, é porque cultivam dentro de casa. Gente, PELOAMORDEDEUS, cactos são plantas DESÉRTICAS, não devem ser cultivados dentro de casa!!!! A não ser que você tenha uma janela onde ele pegue pelo menos 4 horas de sol por dia e mesmo assim das horas mais quentes, ele não vai ficar bonito, sinto muito.

"Ah, mas pode ficar no tempo?"
Pessoas, TODAS as plantas podem ficar no tempo, afinal, na natureza elas sofrem todas as intempéries, não é? Quem me segue tem tempo, sabe que gosto de cultivar todas as minhas plantas obedecendo ao máximo o seu estilo de vida no habitat natural. Minhas suculentas e cactos pegam todo sol e todas as chuvas normalmente. Não sou fã de sombrite nem nada do tipo. Quem tem essas plantas no chão e mesmo em vasos pegando chuva sabem como elas ficam mais lindas assim!

Se seus cactos estão no tempo, dê preferência à vasos de barro ou cimento, que evaporam mais facilmente a água e o perigo de melar diminui bastante.


Minhas lindezas! A da esquerda uma cristata que não sei a id e a da direita, Opuntia violácea

SOLO

O importante para que a planta não mele, fungue, encha de cochonilhas ou apodreça é o solo ser bem drenável. O que é isso? Que tenha uma boa dose de areia ou pedriscos. No caso de vasos é importante que tenha uma camada de drenagem no fundo com pedras ou argila expandida, e antes de por o substrato, coloque uma manta bidim, feltro ou filtro de café usado para que a terra não entre no meio das pedras e acabe entupindo o furo do vaso.

Qual seria a mistura perfeita? Como costumo falar sempre aqui, vai da sua experiência e do tipo de cultivo. Até hoje não cheguei a um substrato 100%, mas no momento estou apostando em usar uma dose maior de areia. Antes usava somente terra e húmus, depois areia e terra, depois a mesma mistura pra suculentas com o Carolina Soil (clique aqui para ver o post sobre) e agora voltei pra areia e terra com diferencial que uso 70% areia e 30% terra. Então o que vale é a observação pro seu clima e tipo de cultivo. Não tenha medo de errar, pois só errando vemos onde temos que melhorar e adequar aos produtos que temos à mão. Faz parte da vida perder e com as plantas não será diferente! Já tive uma coleção imensa de cactos e perdi muitas raridades. 

Então, para que seu cacto seja feliz, dê-lhe muito sol. Isso também é importante para que ele floresça. Se ele nunca floresceu é porque não pega sol suficiente. 


MEU CACTO NUNCA DEU FLORES

Falando em flores, o último post do blog foi sobre floração de cactos, então clique aqui pra ver se ainda não viu.


Meus cactos mais antigos, mas já replantei várias vezes

No caso das flores, além de muito sol, uma adubação própria é bom uma vez ao mês. Apesar de que como são plantas rústicas e vivem em solos pobres, geralmente florescem quando são suprimidos em muito os nutrientes. É um mecanismo de defesa da natureza em vários tipos de plantas, de que quando ela sente que pode morrer, emitem filhotes ou flores para darem sementes e assim perpetuarem a espécie. 

Com as orquídeas isso é muito comum nos grandes produtores para forçarem mais florações durante o ano. Pois os cactos também costumam emitir flores de uma a duas vezes ao ano. Mas é um mito que o solo dos cactos deve ser pobre. Eu gosto de misturar 70% areia, 30% terra vegetal como disse acima e acrescentar um húmus de minhoca ou torta de mamona com farinha de osso. E fazer uma adubação química regular. Uso Forth Jardim, mas existem deles também um adubo líquido próprio para cactos. Nunca usei mas já tive recomendação que é muito bom.


Bacia com cactos, gastérias, agaves mini, euphorbias...

REGAS

Sobre a água já falamos da chuva, ok. Sobre regas, se você tem em vaso, regue uma vez na semana, mas com gosto, não precisa ser uma colher. Recebo muitas dúvidas a esse respeito também. Assim como as suculentas, quando ficar muito tempo sem regar, regue com gosto, de preferência à mangueiradas. Eu falo uma vez na semana por ser mais ou menos um intervalo seguro mas não tenho uma frequência certa e nem uma quantidade certa. Quando a gente se acostuma ao cultivo, percebe se a planta precisa ou não da rega. Pois depende do clima da região e de como sua planta está plantada. 

Aqui onde moro, Uberaba/MG, essa época do ano é de secura extrema e só volta a chover em Outubro e já estamos há uns 3 meses sem chuvas. É inverno mas os dias são quentes. Então eu rego todo mundo dia sim e dia não, no máximo de 2 em 2 dias. Mesmo as suculentas e cactos quando pouco regados ficam secos e murchos e também opacos. Então derrubamos mais um mito. Só se deve evitar as regas nas horas mais quentes do dia, assim como as plantas ornamentais, pois o água + sol pode cozinhá-las. Eu acho errado dizer de manhãzinha ou a tarde, recomendo somente a tarde. Pois assim a água tem tempo de secar até o outro dia sem acumular nas folhas e raízes.

Um fato interessante também é que os estômatos (poros das plantas) se abrem do entardecer até antes do amanhecer do outro dia para transpirarem. Durante o dia se fecham para evitar perde excessiva de água. Então tanto melhor aplicar adubos e defensivos no final da tarde para que a planta absorva melhor estes elementos. E prefira sempre aplicar estes produtos depois das regas.


Esse vaso é mais novo, precisando por umas pedrinhas. Está em um local que não pega sol por conta da época do ano, então percebam que ele não parece tão feliz quanto os outros vasos que pegam muito mais sol! Não vejo a hora do sol chegar aí para que fiquem felizes! Está quase! 

PRAGAS

Se seus cactos estão com cochonilhas, o único jeito é retirá-lo da terra e limpar com uma escova de dentes e sabão neutro. Depois aplique óleo de neem regularmente para evitar a infestação. É mais comum serem atacados por cochonilhas de carapaça, e estes são difíceis de combater com veneno pois a carapaça deles os protegem. Só morrem por sufocamento com óleos, que no caso é o de neem ou também óleo vegetal. É importante aplicar sempre no final do dia e bem diluído, caso contrário queimará a planta.

Mas geralmente o ataque acontece mais em plantas que pegam pouco sol, estão encharcadas e estão pouco adubadas. Então olha o sol aí denovo como fator importante no nosso cultivo. Volto a salientar isso porque é comum venderem arranjos de cactos e dizerem que é para interior de casa.

Também é comum o apodrecimento por fungos, bactérias e vírus e nesses casos a única coisa que podemos fazer é no caso dos fungos, aplicando fungicida regularmente. Eu uso Cercobin, o mesmo que aplico nas suculentas. Para saber mais, clique aqui.

Alguns tipos de lagartas e outros bichos podem comer seu cacto por dentro e você só ver quando ele abre ou quando aparece um furo, quando já está todo danificado internamente, aí não tem o que se fazer mesmo. Já aconteceu muito comigo e infelizmente ficamos de mãos atadas. Se quiser fazer um controle natural de lagartas nas suas plantas, indico este produto, que não é químico.


SALVANDO UM CACTO COM RAIZ PODRE

Se seu cacto melou a base, não se desespere. Dá pra salvar. É só cortar toda a parte afetada, deixar cicatrizar por uma semana (pode aplicar canela se quiser para ajudar na cicatrização), plantar e deixar sem regar um mês até que ele crie raízes. Deixe também em um local que pegue somente o sol da manhã ou da tarde.


CACTO MUDANDO DE COR

É comum ele ficar mais marrom ou avermelhado ou até vinho por conta do sol ou do pH (acidez) do solo. Veja este post sobre suculentas mudando de cor para saber mais. Então não estranhe. Eu os prefiro mais coloridos do que verdinhos.


Este cacto chegou pra mim verde e com o passar do tempo ficou assim. Já tem uns 4 anos que o tenho e fiquei muito feliz dele nunca mais mudar de cor. O interessante é que se você leu meu post sobre cactos coloridos que deixei o link no começo deste post, vai entender que este tipo de cacto só sobrevive no enxerto por não possuir clorofila. Mas neste caso ele está felliz assim.


A maioria vai ser verde mesmo, mas se começar com uma corzinha no topo, não tenha medo. O sinal de coloração de quando ele está doente geralmente é amarelado e dá pra perceber que ele fica meio mole e opaco. Pode ter pontos pretos também. Alguns cactos são manchados de amarelos por natureza, os chamados variegatos. Se você não sabe o que é isso, clique aqui para ler nosso post sobre o assunto.


Meu lindo cacto rabo-de-macaco

CACTOS QUE NÃO SE PLANTAM NA TERRA

São chamados epífitos, ou seja, vivem com as raízes presas em árvores ou muros. Os mais conhecidos são o cacto-sianinha, os ripsális e por aí vai. Estes você pode sim claro ter em vasos mas o substrato deve ser casca de pinus e fibra de coco com um pouco de areia ou terra. Não requerem muitos cuidados como os outros mas precisam de mais umidade. Então podem ser regados mais que o normal.


Meu cacto-sianinha

Ripsális

Ripsális

O maior diferencial destes tipos de cactos para os terrestres são que a grande maioria é de sombra. Como vivem pregados em árvores na natureza, eles apenas recebem uma claridade difusa. As minhas ficam penduradas debaixo de uma amoreira que tenho no quintal. Mas você pode cultivá-las em uma varanda que receba uma claridade difusa ou um solzinho da manhã.


Hoya ou flor-de-cera, não aprece cacto mas é da família e dá belíssimas flores. É uma trepadeira.

Hoya kerrii ou cacto-coração, também trepadeira

Ripsális

Você vai saber que se trata de um cacto epífito quando ele sai raízes por todo seu corpo.


Não sei a id, mas me parece da família das dama-da-noite

Estas espécies do tipo dama-da-noite, cacto-sianinha, pitaya e cactos-oquídeas (epiphylluns) geralmente as flores se abrem a noite pois seus polinizadores são morcegos. Então quando surgir um botão fique atento para não perder! A pitaya é uma exceção do cultivo na sombra, apensar de ser epífito deve ser cultivado a sol pleno. É também uma trepadeira, então encoste-o em um muro ou árvore.


O que acontece com um epífito de sombra no sol: queima e fica amarelado.

AMADEIRAMENTO DO CACTO

Parece um nome estranho, mas é literalmente isso que acontece se seu cacto já tem uma certa idade ou sofreu algum dano mecânico ou de praga. Conheci este termo há pouco com um produtor, mas procurando exaustivamente na internet sobre e até em sites em inglês, não achei nada parecido, para poder explicar melhor para vocês. Ele me repassou esse conhecimento que teve em um livro, e acho importante falar aqui.


Percebam esses pontos brancos nesta Stapelia; parecem cochonilhas, mas não são.

Alguns cactos podem apresentar com o tempo uma parte meio feia, seca, parecendo uma crosta, ou pontos brancos com placas parecendo algum tipo de praga. Geralmente se formam na base e vão subindo. É um processo normal de envelhecimento do cacto. Pode acontecer também de que se ele sofreu um corte, uma queda, um baque ou mesmo um ataque de lagarta, como proteção ele formará essa crosta no local, que é uma cicatrização.


Amadeiramento por cicatrização

No caso da stapelia, parece bem cochonilhas né? Também achava que era e já tinha esfregado com escova e tacado veneno até não poder mais. Vi que não saía. Então este produtor me disse sobre este processo de amadeiramento.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...