Não, suculentas e cactos não são plantinhas fáceis de cuidar!

Cultivar cactos e suculentas se tornou uma febre ultimamente, mesmo com aquelas pessoas que não eram afeiçoadas à plantas ou cultivavam outros tipos. É comum ver nos programas de tv, em blogs aleatórios sobre casa/decoração e youtube, paisagistas ou mesmo pessoas leigas afirmando que cactos e suculentas são plantinhas fáceis de cuidar e até mesmo que quem não tem jeito nenhum com plantas pode ter uma em casa, etc e tal. Quem cultiva há um bom tempo como eu e é colecionador fica extremamente chateado com essas afirmativas pois do contrário são plantas extremamente sensíveis e muito difíceis de manter saudáveis e bonitas.

Já fiz um post sobre os mitos que costumam rondar os cactos e suculentas e que você pode ler clicando aqui.

Neste post vou provar pra vocês como é difícil e oneroso cultivá-las. Mas não quero desestimular ninguém, muito pelo contrário. É um ótimo desafio quando você percebe que está fazendo a coisa certa e as plantas estão lindas; elas retribuem seu cuidado com flores exuberantes, cores e formas que você nunca viu 💓.

Acho que vai tirar muitas dúvidas de quem já tentou ter essas plantas em casa e não se deu bem com elas. No blog temos também um post sobre como deixar suas suculentas sempre lindas, que você pode ler clicando aqui.

Chega de falação, vamos aos fatos!


 👀 DICA NÚMERO 1 ESSENCIAL 👀

As suculentas, mais que os cactos, precisam ser olhados diariamente. Aqui passo em revista todas minhas plantas todos os dias em busca de pragas e outras coisas que requerem um atendimento mais grave como um replante por podridão ou uma poda por folhas doentes. Por isso já começa aí se você tem muitas plantas como eu, dá um certo trabalho e precisa de um certo tempo por dia para se dedicar a isso. É importante também retirar as folhas velhas que ficam por baixo para não acumular pragas e umidade.

Então como ia dizendo, as suculentas podem aparecer do dia pro outro com alguma praga, podridão e etc. que requer um atendimento rápido para não perder a planta. Vamos a cada um desses tópicos.


FUNGOS



A moléstia que mais afeta as suculentas depois das cochonilhas são os fungos. Pode ser excesso de rega? Sim. Chuvas, também. Substrato inadequado? Talvez. Falta de drenagem? Também. Deve-se observar todos esses quesitos se quer evitar suas sucus atacadas pelos fungos. Mas já aviso: nunca tê-los nas suas plantas é impossível.



Como já disse no post sobre os mitos, as suculentas gostam de água sim, como todos os seres vivos. Se for água de menos, ficam feias, secas e murchas. Demais fungam e melam. Elas podem sim ficar na chuva e até gostam. Dá pra ver a diferença depois de tomarem chuva, depois de uma longa estiagem, como acontece aqui no triângulo mineiro. Como eu sempre digo em todos os meus posts é importante observar o que é melhor pra sua planta pois não existe uma receita pronta, o que temos são dicas para testar e ver qual se adequa melhor ao espaço que você dispõe e ao seu clima.




Aqui agora com a época de chuvas é inevitável esse problema. Então o que podemos fazer pra minimizar os danos? Primeiro é a prevenção, assim como  nos seres humanos. Vamos preparar a planta desde o plantio mesmo estando saudável para quando o problema aparecer ou as condições predispuserem a planta a isso, as consequências serem as menores possíveis. O aconselhável é se suas plantas ficam expostas ao tempo, serem plantadas em vasos de barro, que não acumulam umidade.




Aplicar sufalto de cobre de 15 em 15 dias. É a famosa calda bordaleza, que é anti-fúngica e não é veneno. Encontrada em gardens e floriculturas. A mais popular é o Cupro Dimmy, super barato.



Ao fazer o plantio sempre colocar uma boa camada de drenagem no fundo do vaso para que a água das regas e da chuva não acumulem nas raizes. Utilizar um substrato drenável e que evite a proliferação de fungos adicionando carvão virgem moído. Sobre tipos de substrato você vai encontrar nos links que deixei no começo do post e também no final deste. E não menos importante, que a maior parte do dia as suculentas tomem o máximo de sol possível.


A PLANTA FICOU FEIA E SÓ DEUS SABE O QUE É




Observe essa Echeveria pallida. Está estranha não? Seca, enrustida. Geralmente elas ficam assim por falta de água. Acontece também de ter alguma praga nas raízes ou um apodrecimento no interior do caule que só é observado olhando bem de perto e percebendo que está ficando amarronzado. No caso desta não via nada desses itens, mas a bicha ficou feia.




Ela estava nesse vaso. Eu a decapitei e deixei só o talo com uma muda. Plantei direto no vasinho da primeira foto.

Não tenho nenhum cacto desse estado pra mostrar mas acontece muito frequentemente. Ele mela do nada, aparece uma podridão e tchau. Na maioria dos casos é alguma bactéria, imprevisível de saber. O jeito é se conformar porque do contrário das suculentas, se um cacto começa a derreter o jeito é jogar fora pois não há remédio e nem como podar, a menos que seja um cacto ereto e alto.


QUEIMADURAS




Olha que dó essa Echeveria agavoides. A culpa foi toda minha. Ela veio de um hipermercado, onde não tomava sol nem chuva e precisava antes de uma adaptação lenta ao sol. Eu a coloquei direto no sol forte daqui e com as chuvas e depois um sol escaldante em cima, ela cozinhou. Quando adaptamos aos poucos ela vai criando uma resistência, penso que uma adaptação das células das folhas pra aguentar o sol. Percebam que as folhas novas do miolo não queimaram, elas já nascem com essa resistência.




Mas tem também o caso de que plantas já adaptadas se queimem, como esta da foto. O caso foi o mesmo acima, de chover e depois sol forte. Se muitas das suas suculentas que já estão adaptadas começarem com esse problema, é bom por um sombrite para protegê-las.


SUCULENTAS SÃO PLANTAS MUITO SENSÍVEIS




Quem nunca destruiu uma suculenta só com um pequeno esbarrão? Olha essa coitada aí em cima. Até que ela resistiu bem, pois caiu uma cadeira em cima dela! As echeverias são mais fortes, mas as graptoverias, alguns seduns e pachvérias tem as folhas muito fraquinhas ligadas ao caule. Se isso acontecer com você, pegue as folhinhas e faça mudinhas. É a única coisa que se há de fazer.


A SUCULENTA TÁ SOFRENDO UM TREM MAS NÃO PODEMOS PRECISAR PORQUÊ




Vejam essa belezinha que é a Echeveria lauii. Tem quase um ano que a tenho mas por que  cargas d´água as raízes não se fixam no substrato e ela tá assim meio murcha. Esses dias eu comprimi bastante ela na terra e me parece que tá pegando... não sei, vamos ver.




E esta Echeveria mahogany? Toda torta e deformada? Um belo dia olhei atentamente no cale e tinha um buraco. Parece que um bicho entrou lá dentro e estava comendo por dentro. Bati muito veneno dentro do buraco e a praga não foi pra frente. Como ela ficou com uma falha no caule, as folhas começaram a nascer desproporcionais. Se eu não tivesse visto a tempo com certeza a teria perdido.



Essa Kalanchoe chocolate soldier está assim caindo as folhas e secando, sem motivo. Vou ter que decapitar e replantar o topo.



REPLANTES PERIÓDICOS SÃO NECESSÁRIOS


Todas as plantas precisam de podas periódicas e replantes certo? Mas a gente tem preguiça e deixa a planta lá no vaso por anos sem retirar o torrão, trocar o tamanho do vaso e o substrato... Mas com as suculentas não podemos ter esse desleixo.



Vejam essa Echeveria pulvinata. Ela está em um pequeno vaso e está esticando demais, e não é por falta de sol. Vai afinando o caule e ficando feia. Eu não sei o porque mas se eu deixá-la assim mais uns meses ela vai esticar até definhar. Por isso quando esse fato se apresenta é bom decaptar e plantar as mudinhas. Os pendões florais também devem ser cortados, pois tiram o vigor da planta que gasta muita energia para manter as flores e formar as sementes. Eu não costumo cortar os pendões logo de cara. Deixo um tempo e quando começa a secar já corto. Os produtores que fazem cruzamentos entre as plantas para obter novos híbridos deixam até o fim para colher as sementes, claro que você pode fazer isto, quando uma adubação reforçada para floração rica em fósforo for aplicada e não deixará a planta definhar. 

Alguns tipos de suculentas mesmo cortando os pendões florais morrem depois da floração; mas emitem filhotes em torno da planta-mãe, então não fique triste se isto acontecer, porque faz parte do ciclo da planta. Retire esses bebês  da planta-mãe e replante.



Olha a Echeveria nodulosa. Esta versão nacional não forma roseta como a gringa, ela é mais pescoçuda mesmo. Mas olha as mudas saindo da mãe e esticando até o infinito. O ideal é cortar as mudas assim que saem da mãe e plantar. Além dessas mudinhas tomarem o vigor da planta mãe ela fica deformada e feia.


Veja esta pachyveria. É necessário urgente cortar a muda lateral para que a planta não fique deformada.


Olha como elas vão esticando e ficando feias...



Este é o vaso mais feio.Precisa urgente de ser picado e replantado.



ADAPTAÇÃO




Esta Echeveria estava só no sol da tarde e coloquei em um local onde pega o sol mais forte. Ela fica meio molenga mas depois se recupera.




Esta outra estava ficando deformada em um canto onde pagava só o sol da tarde. Coloquei também em sol pleno para ver se dá uma arrumada.

PRAGAS

Um clássico sinal de pulgões e cochonilhas nas suculentas são a deformidade no seu centro.




Os bichos sugam a seiva da planta e ela começa a atrofiar onde está sendo atacada. Por isso o olhar constante sobre elas.


Olha esse cacto parafuso. Todo manchado. Acho que é fungo... mas como ele está ficando meio murcho acho que tem praga na raíz, talvez nematóides. Para saber mais sobre essa praga invisível, clique aqui. Vou ter que tirar do vaso, decapitar e replantar.



Olha o tanto de cochonilha nesse cacto. É people, a vida não tá fácil pra ninguém! Outra precisando de atendimento urgente. lavar com escova e tacar um veneninho tipo óleo de neem.


TÁ CANSADO? VAMOS VER MAIS E CHEGAR A CONCLUSÃO SE ELAS SÃO OU NÃO FÁCEIS DE CUIDAR...



Fungos, excesso de chuva...



Miolo tinha cochonilha, tava começando a deformar... As manchas nas folhas são apenas o sulfato de cobre que apliquei esses dias.


Melou. Porque? Não sei, pois não pegava chuva...


Precisa de replante e poda.


As pontas estão secando e ficando pretas, não sei porque.



Pescoçuda, precisando degolar.


Degolada aguardando plantio.


Deformadas sem motivo =(



Estiolada, apesar de tomar muito sol... mas como ela toma sol pela frente e não por cima, pois fica numa prateleira, ficou assim.


Fungada e manchada. Já fiz de tudo e não resolve.


Aloe deformada. Sem motivo também.


Esse cacto é um enigma. Tem uns 2 anos que o tenho e ele não cresce, não solta brotos. Fiz uma poda radical das raizes, cortei e enterrei pra ver se estimula o crescimento. Já enraizou mas nada de brotos e crescimento. Vou esperar mais um mês e se não resolver vou fazer um talho em cima para estimular o nascimento de brotos.


E aí, é fácil de cuidar? Pra quem já pegou a prática pode ser mais fácil mas ainda assim é trabalhoso como vocês podem ver. Mas não desanime, cuidando certo são plantas sensacionais!

Retirei daqui umas dicas bem boas pra resumir tudo e complementar os outros posts sobre suculentas do blog. Essas informações são da  engenheira agrônoma, produtora e colecionadora experiente de suculentas Angela Gontijo. Clicando no nome dela você poderá acessar sua página no face e ver as lindas plantas que ela tem à venda, destinada ao público mais exigente e colecionadores. Conheça também sua loja virtual que estreou recentemente clicando aqui.

Vamos as dicas dela!

"Solo
As suculentas, de maneira geral, preferem solos ricos e bem drenados. Nunca se deve misturar areia fina (principalmente as que têm silte junto), no substrato preparado para as suculentas, porque "soca" demais. Devemos usar uma fibra natural (pó de xaxim de áreas autorizadas pelo IBAMA), casca de pinus, pedrisquinhos (como o que sobra da peneiragem da areia lavada grossa). Normalmente misturamos um substrato comprado no mercado de firma idônea, com a fibra e um pouco de terra vermelha de subsolo de barranco. No plantio acrescentamos uma fonte de fósforo e depois fazemos adubações de cobertura com adubos ricos em potássio. Eu, particularmente prefiro não usar nenhum produto orgânico para evitar possíveis contaminações.

"Luminosidade
É um dos grandes segredos do sucesso no cultivo das suculentas. Normalmente todas elas gostam de muita luz e morrem ou se descaracterizam na falta dela. Nós fazemos uma classificação que orienta nossos clientes sobre a quantidade de luz necessária para o bom desenvolvimento da sua planta dividindo as em: Verdes (ex. Zamioculcas, Rhipsalis, Hatiora, Gasteria e Haworthias) precisam de muita luz, mas não de sol diretamente. Amarelas (ex. Echeverias, Crassulas) precisam de luz pelo menos uma parte do dia. Vermelhas (ex. Kalanchoe tyrsifolia, Crassula capitela) precisam de sol pleno o dia todo. Além da importância para a planta se manter saudável e colorida, 95% do alimento das plantas vem do sol através da fotossíntese. 

"Irrigação
Este é outro ponto crítico no cultivo de suculentas. É mais fácil você perder sua plantinha por excesso de água do que por falta dela. Antão espere a terra estar bem seca para voltar a regar a sua planta. A regra básica é regar abundantemente uma vez por semana no verão e de 15 em 15 dias no inverno (ou no verão se o tempo estiver chuvoso ou nublado). Deve-se molhar como uma "tempestade", inclusive folhas e tudo. Não tem problema! Não se deve "borrifar" água, que aumenta a umidade relativa do ar em volta da planta, nem usar prato sob o vaso. É importante colocar brita, cacos de cerâmica ou argila expandida no fundo dos vasos, antes de colocar a terra, para facilitar a drenagem do excesso de água. Outra coisa interessante é colocar pedrinhas na superfície do vaso, o que faz com que a água passe por aquele espaço sem se acumular, indo direto às raízes. Isto evita muito o apodrecimento do colo da planta (pescoço), parte muito sensível. Vale lembrar que toda regra tem exceção. Vasos expostos ao sol direto e/ou vento necessitam de mais água que outros mais protegidos. Também há alguns cactos de mata Atlântica, como os Rhipsalis, que gostam de regas mais frequentes.

"Adubação
A adubação deve ser feita periodicamente, sem exageros, principalmente de Nitrogênio, para evitar que a planta cresça muito verticalmente (estiole). O Nitrogênio é encontrado em grande quantidade nos húmus, terra vegetal, estercos, torta de mamona então deve-se ter cuidado com o uso desses produtos na mistura de plantio. Calcário, farinha de osso, calcário de conchas fornecem Cálcio e Fósforo para as plantas e elevam o pH da mistura. Mistura com o pH muito alto favorece o aparecimento das bactérias (podridões). Após o plantio das mudas em vasos, deve-se reduzir a adubação até o vaso "firmar". Se você quiser manter a planta num vaso por mais tempo, não adube em excesso, para que as plantas "se comportem", não precisando trocá-las para vasos maiores com muita frequência."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...